Envio standard gratuito para compras acima de 50€*

Inicio na aquariofilia


Os Primeiros Passos

Se pondera iniciar-se no mundo da aquariofilia, é imperativo ter algumas noções básicas para proporcionar o melhor habitat possível para os seus animais aquáticos, e tornar a sua própria vida mais fácil. 

Antes de mais, considere que não está a lidar com simples objectos, mas sim com animais, cujas vidas ficarão totalmente dependentes de si e do tempo e dedicação que lhes pode dar. Não terá que levar o peixe á rua para passear, nem terá pêlos para aspirar, no entanto todos os ecossistemas aquáticos carecem de planeamento, cuidados e manutenção. Mas calma, o mundo dos aquários não é nenhum bicho de sete cabeças. Se seguirmos algumas regras básicas, iremos facilmente proporcionar todo um mundo de beleza e interesse. Aqui ficam algumas dicas a ter em consideração, antes de avançar:

1 - Elabore um plano

Alguém um dia escreveu "Falhar em planear, é planear para falhar". Todos os projetos, por mais pequenos que sejam, beneficiam muito com a elaboração de um plano básico.

Reflita sobre as condições que tem. Desde a área disponível para o aquário, o tipo de água a que tem fácil acesso. Como pensa fazer a manutenção, etc

Sabendo isto, que tipo de animais gostaria de ter nesse aquário, quais as suas necessidades e compatibilidades. Planeie as decorações, o "Layout", as plantas, a filtragem, a luz, e todos os restantes equipamentos.

Isto ajuda-o também a manter-se dentro do seu orçamento e evita que seja o seu impulso a decidir por si no momento de comprar. Ao entrar numa loja, saiba de antemão o que tenciona adquirir, com base no seu plano e necessidades.

Quando em duvida, procure informar-se em fóruns e páginas da especialidade. E claro, não hesite em questionar a sua loja de confiança.

2 - Equipamentos necessários

Ter uma caixa cheia de água não é o mesmo que ter um habitat adequado para os nossos peixes. Será necessário adquirir alguns equipamentos e acessórios, para complementar o aquário. Procure escolhê-los conforme a necessidade dos animais e se afecta ou não os parâmetros da água. O mesmo se aplica a decorações, hardscape, movimentação da água, oxigenação, etc

De um modo geral os equipamentos necessários são:

  • Filtro
  • Iluminação
  • Termostato
  • Kit de Testes de Água
  • Rede (Camaroeiro)
  • Sifão (para extrair água)

Sugerimos que, ao comprar um aquário, evite tamanhos pouco comuns, pois pode deparar-se com dificuldades em obter equipamentos compatíveis, principalmente no que diz respeito a móveis e iluminação. 

3 - Não coloque logo animais no aquário. Primeiro conheça e promova o ciclo do Nitrogénio

Um dos erros mais comuns para iniciantes é introduzir peixes num novo aquário sem este ter um ecosistema maduro, e capaz de os suportar. Existem elementos extremamente tóxicos para os animais aquáticos que facilmente surgem nos aquários através de decomposição orgânica - dejectos de peixes, comida, organismos mortos, etc. Entre eles a perigosa Amónia. Existem no entanto grupos de micro-organismos que processam Amónia e convertem-na numa outra forma menos tóxica, mas ainda perigosa - Nitritos. Um segundo conjunto de bactérias faz o mesmo com os Nitritos e convertem-nos em Nitratos. Os Nitratos são ainda menos tóxicos mas devem ser retirados do aquário, seja através de trocas de água, ou através da absorção por plantas. Quando passamos a ter Nitratos e deixamos de ter Amónia e Nitritos, estamos a perante aquilo que chamamos de Ciclo do Nitrogénio - quando obtemos indicadores da presença dos vários grupos de bactérias no aquário. Este processo ocorre normalmente durante 4 a 6 semanas, mas pode até durar vários meses, daí que testar a água seja tão importante.

Uma forma de implementar diretamente as bactérias nitrificantes no aquário é, por exemplo, utilizando cerâmicas diretamente de outros aquários já "maduros". Em alternativa pode aplicar aceleradores biológicos, que são essencialmente estirpes de bactérias vendidas em líquidos. Damos como exemplo o conhecido Seachem Stability. 

Um aquário sem estes micro-organismos é essencialmente uma bomba relógio, prestes a rebentar assim que introduzir peixes e começar a alimentá-los. Daí que promover o ciclo do nitrogénio seja tão importante. Assegure-se que tem 0 Amónia, 0 Nitritos e menos de 20ppm de Nitratos antes de introduzir qualquer animal no aquário.

Saiba como proceder em mais detalhe no nosso tópico dedicado ao Ciclo aqui

4 - Conheça a sua água

Uma das nossas maiores responsabilidades neste hobby é a de proporcionar uma boa qualidade de água, com as características certas para os nossos animais. Para tal devemos conhecer alguns dos seus parâmetros. 

De um modo geral, os mais importantes são:

  • Temperatura (que para a maioria dos peixes no hobby fica a rondar os 25ºC)
  • Os elementos constituintes do ciclo do nitrogénio: Amónia (NH3), Nitritos (NO2) e Nitratos (NO3)
  • PH
  • Indicativos de dureza da água: GH, KH e TDS

Um Kit de testes que lhe permita obter informações sobre estes parâmetros será uma ferramenta importante para conhecermos a nossa água. Sugerimos que, ao inicio, obtenha um Kit para, pelo menos Amónia, Nitratos e PH, sendo que, a longo prazo, o de Nitratos será o melhor indicador de qualidade da água.

Será sempre preferível adquirir peixes que se habituem facilmente á água a que temos fácil acesso, do que alterarmos a água com químicos e outros produtos para se aproximar do ideal para certos animais. Quando mal administrados, estes produtos podem resultar em oscilações graves de parâmetros, que podem inclusive levar á morte. Sempre que necessário alterar os parâmetros da água, faça-o de forma muito gradual. 

A química da água pode ser um tema complexo, mas é importante adquirir, pelo menos, uma ideia geral da importância de fornecer a água com as características necessárias ás espécies que mantemos e sem flutuações bruscas nos seus parâmetros.

Mais informações sobre parâmetros de água aqui

5 - O momento de escolher os animais

Viu numa loja um animal aquático que lhe chamou a atenção? Calma! Primeiro procure obter conhecimento sobre as características desse animal: Como é o seu habitat na natureza? Quanto crescem? De que tipo de água necessitam? Vivem em cardume, ou individualmente? São territoriais? Pacíficos? Do que se alimentam? Depois de respondidas estas questões deve ter em conta o número e compatibilidade das espécies que pretende ter a conviver no seu aquário.

Uma boa norma para quem se inicia, é ter no máximo duas ou três espécies, divididas por área de ocupação no aquário, com uma adequada quantidade de indivíduos por espécie.

Por exemplo: Um bom grupo de uma espécie de cardume, alguns exemplares de uma espécie maior e mais exuberante, e uma "equipa de limpeza" que ocupe o fundo  e áreas mais refundidas do aquário. Desde que estas espécies sejam compatíveis entre elas, deverá ter uma coexistência pacifica e de grande beleza.

Irá também simplificar muito a sua escolha se tiver em conta os parâmetros da água a que tiver fácil acesso. Por exemplo, se a água da torneira for "dura" e alcalina, ou em contra-partida "mole" e ácida, irá ter a vida facilitada se escolher peixes que são originalmente de águas com as mesmas características.

Mais informações aqui

6 - Mas quantos peixes?

Ao inicio irá provavelmente deparar-se com um mundo de opções fascinantes no que diz respeito a peixes e outros animais aquáticos. Mas cuidado, não deixe as suas emoções levarem a melhor. Pondere as suas decisões e não adquira mais peixes do que consegue manter. Mais carga biológica, implica que terá que aumentar o volume de comida e por sua vez, de filtragem e/ou regularidade de trocas de água. Poderá igualmente ter que se adaptar ás características dos novos animais - parâmetros de água, tipo de alimentação, compatibilidade, comportamento, etc, e, claro, cada peixe deve ter uma área adequada para poder circular, explorar e estabelecer territórios.

Uma norma que tem sido muito sugerida é a de ter pelo menos 1 litro de água por centímetro de peixe no seu tamanho em adulto. Apesar de ser algo subjetiva, é uma boa norma a seguir quando não temos experiência.

Como referido no tópico anterior, tente também respeitar a natureza do peixes. Se forem peixes de cardume irá desejar obter um grupo, de pelo menos 6 unidades, sendo que quantas mais melhor. Mesmo que isto implique ter menos variedade de espécies, irá verificar um comportamento mais natural, e ficam menos propícios a agressividade e stress.

A sobrepopulação pode gerar uma "bola de neve" difícil de combater, portanto, facilite a sua vida e comece com poucos animais, deixe o tempo e experiência dar-lhe indicações se pode eventualmente adquirir mais.

7 - Como aclimatizar os animais ao novo aquário

Ao passar de uma água para outra, os nossos animais podem sentir um choque de parâmetros, o que pode causar stress e deixar o seu organismo fragilizado. O seu transporte acarreta sempre riscos e nenhum método de aclimatização é 100% eficaz. Mas vamos referir os passos para a aclimatização que sugerimos ao recepcionar peixes através da nossa loja online:

  1. Desligue as luzes do aquário e reduza as da divisão em questão (para minimizar o stress).
  2. Coloque a boiar o recipiente de transporte no aquário (preferencialmente imóvel a um canto) durante cerca de 15/20 minutos
  3. Coloque uma rede fina com um recipiente por baixo, como um alguidar
  4. Com muito cuidado despeje o conteúdo do recipiente de transporte pela rede, de forma a que os animais fiquem retidos na rede mas a água suja passe para baixo.
  5. Introduza os animais no seu aquário.

Nota: Existem outros métodos mais indicados para transportes curtos ou de menor duração, e muito vai depender da quantidade de oxigénio e parâmetros de água no recipiente de transporte aquando a chegada ao destino.

Mais informações aqui