Ancistrus Cirrhosus sp. (+6cm)

4,95€
4
-
+
Apenas 4 unidades restantes deste produto

Espécie: Ancistrus Cirrhosus
Origem: América do Sul
Dificuldade: Fácil
Tamanho máx: 12cm

Parâmetros ideais:
Temperatura: 21-28C
PH: 6.0 - 8
GH: 4-10
KH: 1-4
TDS: 100-300

Um dos peixes mas comuns do hobby, e dos mais criados por aquaristas, o Ancistrus Cirrhosus é também conhecido apenas como "limpa-vidros". Embora este termo possa englobar outras espécies com características muito diferentes.

O Ancistrus é um peixe muito pacifico, e "trabalhador". Alimenta-se de diatomáceas e algas que surgem naturalmente no aquário. Como tal é muito desejado como peixe de "limpeza". 

Alimenta-se, não só de algas, mas de uma dieta variada, incluindo proteína animal. Alguns alimentos comuns são larvas de mosquito, tubifex, artemia, e claro, pastilhas para peixes de fundo. Outro tipo de alimento excelente para eles é courgette, abobora, e pepino.

Para preparar estes alimentos basta cozer levemente, até ao ponto de afundar naturalmente. Deve-se retirar o miolo, deixar arrefecer, e pode ser dado assim diretamente. Sugerimos que retire a casca da abóbora e do pepino, mas pode deixar na courgette, pois eles adoram. Caso os alimentos ainda permaneçam no aquário passado 24h, sugerimos que sejam manualmente retirados.

O Ancistrus é um peixe bastante activo para um loricarídeo. No entanto é comum sair mais do seu esconderijo ao fim do dia. E por falar em esconderijo, o seu Ancistrus irá agradecer se fornecer uma toca, e madeiras onde se refugiar.

Pode ser mantido sozinho ou em grupos. Podem ser um pouco territoriais entre eles, mas raramente as suas investidas resultam em ferimentos. 

Os machos crescem um pouco mais do que as fêmeas, atingindo cerca de 12cm, com as fêmeas mantendo-se a rondar os 9cm.

É muito fácil distinguir os machos depois de atingirem a maturidade, pois desenvolver longos apêndices no "focinho". 

A sua reprodução é muito comum, ocorrendo mesmo em aquários particulares sem grande esforço, desde que mantida uma decente qualidade de água, e tendo um casal adulto compatível.

Na altura de reprodução a fêmea coloca os ovos num esconderijo escolhido pelo macho, sendo que, após a fecundação dos ovos, o macho expulsa a fêmea e permanece sozinho a "arejar" os ovos por um período de aprox. uma semana. Período no qual este raramente se alimenta.

Após a eclosão os alevinos alimentam-se de diatomáceas, biofilme, e potencialmente de vegetais moles, ou alimentos gelatinosos próprios para loricariídeos.

Chamamos a atenção que, dado o seu tamanho em adulto, não é um peixe adequado a aquários pequenos. Sendo nestes casos preferível a utilização de caracóis ou otocinclus como comedores de algas.